Gravidez após aborto espontâneo é possível?

You are currently viewing Gravidez após aborto espontâneo é possível?

O aborto espontâneo é sempre um momento muito difícil para a mulher. A perda precoce do bebê pode desencadear um misto de emoções e é sempre necessário o amparo da família e amigos.

Mas infelizmente, ele é mais comum do que se imagina. De acordo com o Ministério da Saúde, o abortamento espontâneo ocorre em aproximadamente 10% das gestações. 

Há diversos fatores que podem desencadear o aborto espontâneo, e é comum que após passar por esse episódio, as mulheres queiram ter uma nova gestação. Mas será que ela é possível?

Para tirar essas dúvidas, preparamos o artigo abaixo com algumas informações para você!

O que é o abordo espontâneo?

O aborto espontâneo é caracterizado pela perda fetal não provocada antes da 22ª semana de gravidez ou quando o feto pesa menos de 500g.

Ele é mais comum nas primeiras gestações e tem diversas origens, até mesmo sem causa aparente. 

Por exemplo, pode ocorrer por problemas na anatomia do útero, mioma, malformações, deficiência de progesterona, incompetência cervical, trombofilia e doenças autoimunes, entre outros motivos. 

O estresse e as quedas também são fatores desencadeantes, pois podem liberar hormônios que causam contração.

Leia também::: Preparo pré-gestacional: como deve ser?

A busca pelas causas

Quando o assunto é abortamento, muitas variáveis entram em cena. Por isso, o ideal antes de planejar a próxima gravidez, procure um obstetra para investir as causas e tratá-la corretamente. 

Entre os riscos a serem avaliados pelo profissional podem estar questões básicas, como a idade avançada, ou mais delicadas, como a descoberta de complicadores (a trombofilia, por exemplo, condição que promove a criação de coágulos que podem obstruir vasos sanguíneos). 

Seu peso corporal e estilo de vida também podem ser fatores de risco para perdas fetais. E saber a quantas anda a sua reserva ovariana é outra investigação urgente.

Gravidez após, é possível?

É claro que é! Mas é importante compreender as causas, e se for necessário, tratá-las antes de se tentar uma nova gravidez.

Além disso, é de fundamental importância o acompanhamento pré-natal e, também se for possível, o preparo pré-gestacional, que é basicamente a preparação do corpo feminino para a concepção.

Isso é feito por uma série de exames, para entender como está o organismo da mulher. 

Por exemplo, precisamos saber quais suas necessidades, o que tem de deficiências, o que tem de suficiências, quais suplementações são necessárias, entre vários outros fatores.

Mas é importante lembrar que quando fazemos uma suplementação pré-gestação, estamos também fazendo uma programação metabólica adequada. 

Leia também::: Benefícios da meditação na gravidez

Tenha sempre acampamento médico

Toda gestação requer o acompanhamento médico. Isso garante que tanto a saúde da mamãe quanto do bebê estão tendo toda a atenção necessária.

Além disso, esse acompanhamento médico visa garantir que todos os nutrientes necessários para o bom desenvolvimento do feto sejam supridos.

Outro ponto importante é que a mulher deve se preparar pelo menos 6 meses antes de engravidar, fazendo acompanhamento com uma equipe multidisciplinar.

Portanto, isso garantirá que seu corpo esteja plenamente preparado para uma gestação, reduzindo as probabilidades dela passar por um evento de abortamento espontâneo.

Espero que o artigo sobre aborto espontâneo e gravidez tenha sido útil. E caso queira mais informações sobre todo esse processo, confira nosso curso “Bebê Genial”. 

Nele apresentamos tudo o que acontece antes, durante e depois da gestação e que afeta diretamente a formação psíquica, física e comportamental do bebê. É só clicar no botão abaixo!

Dra. Erica Mantelli

Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro. Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro. Especialização em sexualidade humana pela Universidade de SÃO Paulo / USP.