Corrimentos vaginais: quando é que tornam-se preocupantes?

You are currently viewing Corrimentos vaginais: quando é que tornam-se preocupantes?

Os corrimentos vaginais fazem parte da vida de toda mulher ao longo dos seus ciclos reprodutivos.

No entanto, algumas questões emocionais, hábitos de higiene e até o próprio desconhecimento em relação ao próprio corpo tendem a causar desequilíbrios e, aí sim, o corrimento vaginal pode tornar-se uma preocupação.

Conversamos sobre esse assunto com nosso amigo e colega de profissão, Dr. André Vinícius, ginecologista especializado na saúde da mulher.

Tipos de corrimento vaginal

Os corrimentos vaginais nem sempre são anormais. Normalmente, eles indicam a fase que a mulher está passando em seu ciclo reprodutivo.

Os dias que antecedem a ovulação costumam ser marcados pela presença de um muco branco e pegajoso, com aspecto bastante úmido. Ele aparece porque os níveis de estrogênio aumentam.

Nos dias da ovulação, esse mesmo corrimento pode ser mais pegajoso e esverdeado. A vagina torna-se um ambiente mais úmido e escorregadio, o que deve facilitar a subida do espermatozoide rumo ao útero.

Essas mudanças e aspectos do corrimento vaginal variam de acordo com a mulher. No entanto, não são motivos para preocupação por fazerem parte do seu ciclo.

Infelizmente, muitas por desconhecimento do corpo, acabam utilizando lenços, sabonetes, absorventes de uso diário e outros itens que agridem o equilíbrio vaginal.

Aí, sim, o muco produzido pode apresentar ainda mais alterações.

A flora vaginal: uma breve explicação

A vagina da mulher é habitada por uma colônia de bacilos e bactérias que não causam problemas por si próprios. No entanto, com as agressões que a mulher pode fazer ao utilizar muitos produtos químicos e com cheiros, pode provocar o desquilíbrio no ambiente vaginal.

Quanto mais a paciente faz uso, pior fica o corrimento vaginal, pois intensifica esse desequilíbrio. Por isso, indicamos que, caso os corrimentos incomodem, seja realizada a troca da calcinha, em vez de usar cosméticos.

Também não recomendamos o uso de absorventes todos os dias, afinal, esse produto impede a transpiração recorrente da vagina e favorece a proliferação desordenada desses fungos e bactérias.

Fatores que podem promover o desequilíbrio

A flora bacteriana vaginal é influenciada pela saúde da mulher como um todo.

Assim, pode ser influenciada por fatores como saúde intestinal, alimentação e até as emoções da mulher.

Os alimentos presentes em seu dia a dia podem favorecer o aparecimento desses desequilíbrios. Quanto mais açúcar e carboidratos, pior para os corrimentos vaginais.

Em relação à saúde intestinal, é interessante verificar o quão constipada a mulher fica.

Se ela vive com problemas de intestino, isso merece uma investigação. A flora bacteriana vaginal e intestinal podem se relacionar de forma sistêmica, favorecendo os corrimentos.

E quando o corrimento é um problema?

A mulher deve relatar ao seu médico, em suas consultas, detalhes sobre quais fases e os aspectos desses corrimentos vaginais.

Caso sejam recorrentes devido a vaginose bacteriana ou candidíase, a mulher deve receber o tratamento adequado para esse problema.

Em especial se estiver no preparo para a gestação ou caso já seja gestante.

Afinal, o corrimento vaginal pode provocar o trabalho de parto prematuro. Os tratamentos anti-fúngicos orais não devem ser utilizados, apenas de uso tópico direto na vagina.

Esperamos ter esclarecido sobre os corrimentos vaginais na mulher.

Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.

Aula exclusiva para gestantes e gestantes sobre suplementação

A saúde do bebê começa muito antes da concepção e do nascimento.

É por isso que toda grávida precisa garantir os nutrientes necessários à formação do bebê. A alimentação saudável é fundamental e a suplementação completa a nutrição, favorecendo o desenvolvimento de todas as áreas do bebê.

Preparamos uma aula exclusiva e 100% gratuita sobre Vitaminas e Suplementos que toda grávida precisa. Para acessar, basta clicar abaixo:

Dra. Erica Mantelli

Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro. Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro. Especialização em sexualidade humana pela Universidade de SÃO Paulo / USP.