Como suplementar corretamente o ácido fólico na gestação?

You are currently viewing Como suplementar corretamente o ácido fólico na gestação?

A suplementação de ácido fólico na gestação é algo necessário, mas que varia de mulher para mulher. Esse nutriente é responsável pela boa formação do bebê durante a gestação.

Atualmente muitos alimentos perdem seus nutrientes. Do último século para cá, estima-se – em estudos – que 20% a 60% dos nutrientes de todos os alimentos tenham sido perdidos, ou seja, não há uma quantidade mínima sendo ingerida.

A suplementação veio para auxiliar nesses resultados nutritivos. A questão em foco é a gestação, por isso vamos falar sobre o ácido fólico e como essa suplementação pode ser positiva antes da gravidez.

Para saber mais, é só conferir o artigo que preparamos abaixo sobre o tema.

O que é o ácido fólico

O ácido fólico é uma vitamina do complexo B. Para exercer a sua função na prevenção dos problemas relacionados ao tubo neural do bebê, a recomendação é que a suplementação comece 3 meses antes da mulher engravidar.

Por isso, assim que o casal decide ter um filho, é preciso conversar com profissionais de saúde sobre a possibilidade e necessidade de suplementar o ácido fólico.

O seu médico precisa verificar quais são os níveis ideais de ácido fólico para você de acordo com a sua fisiologia. Já o nutricionista fica responsável por incluir o ácido fólico por meio da alimentação.

O ácido fólico é abundante nas folhas verdes escuras, como agrião e espinafre, e em grãos como feijão e lentilha. No entanto, dificilmente a gestante consegue consumir toda a quantidade necessária do ácido fólico.

Cabe à equipe que acompanha essa gestante optar pela suplementação do ácido fólico ou do metilfolato.

Leia também::: Atividade física melhora a qualidade do leite materno?

Qual sua importância?

O ácido fólico é essencial porque previne o fechamento precoce do tubo neural, estrutura que dá origem ao sistema nervoso do bebê. 

O ideal é que a mulher comece a suplementação três meses antes da concepção, com prescrição médica, e continue até o final do primeiro trimestre.

Suplementar ácido fólico na gravidez pode ser benéfico, pois previne a formação prematura do tubo neural.

Diferença entre ácido fólico e metilfolato

Muitas mulheres contam com mutação em uma enzima chamada “metilenotetrahidrofolato redutase”, ou simplesmente MTHFR para deixar mais fácil. O que você precisa saber é que esse é o nome da enzima responsável por converter o ácido fólico em folato.

O bebê precisa é do folato, e não do ácido fólico. Por isso, as mulheres com alteração nessa enzima não são capazes de fazer a conversão do ácido fólico para o folato e o bebê continua com os mesmos riscos de má formação.

Além disso, o excesso de ácido fólico pode oferecer prejuízos à própria mulher, como o desenvolvimento de trombose. Também existem casos de autismo em crianças devido ao erro nesse tipo de suplementação.

Por isso, suplementar apenas a dose recomendada pelos profissionais que acompanham a sua gestação é fundamental!

Leia também::: Ansiedade na gravidez faz mal para o bebê?

Siga sempre a orientação do profissional de saúde

Por mais importante que seja o ácido fólico, jamais deve ser consumido de forma indiscriminada. 

Em primeiro lugar, para saber a dosagem certa. Em segundo, para saber se pode ser com o ácido fólico ou se é preciso usar o metilfolato. 

Por isso, converse sempre com seu médico e com seu nutricionista para saber qual a dose individualizada para a sua condição de saúde.

Por fim, esperamos que tenham compreendido sobre como suplementar corretamente o ácido fólico na gestação e, para aprofundar mais seu conhecimento, assista também ao vídeo sobre o tema que preparamos para nosso canal do Youtube. É só dar o play abaixo!

Dra. Erica Mantelli

Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro. Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro. Especialização em sexualidade humana pela Universidade de SÃO Paulo / USP.