Aumento de pressão na gestação: até que ponto é normal?

Aumento de pressão na gestação: até que ponto é normal?

O aumento da pressão na gestação não é incomum. Afinal de contas, o corpo da mulher passa por várias mudanças e o aumento da placenta acaba causando essa alteração.

Mas é importante deixar claro desde já que, apesar de não ser incomum, é preciso ficar atenta. Um aumento muito grande da pressão arterial pode ter consequências sérias para a mamãe e o bebê.

Para entender até que ponto é normal esse aumento da pressão na gestação, preparamos esse artigo a seguir. Confira e tire suas dúvidas!

O que é pressão alta?

Antes de mergulhar no que é exatamente pressão alta, vamos explicar o que está realmente envolvido na leitura.

O primeiro número que seu médico fala é o chamado número “sistólico” ou superior. Ele é a pressão que o sangue faz contra as artérias quando o coração empurra o sangue para fora.

Já o segundo número é a leitura “diastólica” ou inferior. Ela é a pressão sanguínea quando o sangue está fluindo de volta para o seu coração. 

A pressão arterial normal é considerada 120/80. Mas, ela é considerada alta se você tiver um número sistólico de 140 ou uma leitura de pressão arterial diastólica de 90.

É preciso monitorar 

Como mencionamos, não é incomum a mulher apresentar pressão alta no final da gestação. Afinal, isso ocorre pelo fato do corpo ter uma maior resistência vascular, provocada pela presença da placenta.

Há também uma maior produção sanguínea para nutrir o bebê que vem sendo gestado. Quando ocorre é chamada de doença hipertensiva específica da gestação.

Porém, quando não tratada, pode evoluir para a pré-eclâmpsia ou eclâmpsia. Essa é uma doença grave que provoca convulsões na gestante, e que coloca ela e o bebê em risco de morte. 

Por isso, a partir da 20ª é importante estar bastante atenta à pressão arterial da mamãe. A medição deve ter certa frequência, para certificar-se que tudo vem transcorrendo bem ao longo da gestação.

Caso o obstetra observe alguma alteração, com níveis mais elevados da pressão arterial, é necessário iniciar o tratamento, que inclui uma alimentação saudável e com baixo teor de sal.

Reduzir frituras e gorduras, e substâncias que aumentam o ritmo cardíaco como o café, também são aconselhados. 

Leia também::: A importância da saúde emocional na gestação

A pressão permanece alta após o parto?

A pressão alta na gravidez geralmente desaparece assim que o bebê nasce. Em suma, ela tende a se normalizar quando a placenta é expelida pelo corpo.

No entanto, ainda podem ocorrer algumas complicações durante os primeiros dias após o nascimento.

Por isso, você será monitorada cuidadosamente por várias semanas caso tenha sido diagnosticada com aumento da pressão na gestação.

Além disso, ter pressão alta durante a gravidez não significa necessariamente que você desenvolverá pressão alta em gestações futuras. 

No entanto, o risco aumenta, especialmente se você tiver uma condição médica como hipertensão, doença renal, ou diabetes.

Nunca deixe de lado o pré-natal

Por isso, é de fundamental importância o acompanhamento pré-natal. O seu médico obstetra saberá monitorar sua saúde, acompanhar os níveis de pressão arterial do seu corpo, e garantir que o desenvolvimento deu bebê ocorra da melhor forma possível.

Portanto, uma gestação também requer bons hábitos por parte da mamãe, com uma boa alimentação, a prática de alguns exercícios, o repouso e o cuidado com o corpo e a mente.

Espero que possamos ter tirados as dúvidas sobre o aumento de pressão na gestação. E caso queira mais informações sobre a suplementação na gestação para melhor desenvolvimento do seu bebê, confira o e-book que preparamos especialmente sobre o tema. É só clicar no botão abaixo!

Dra. Erica Mantelli

Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro. Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro.