Como funciona o DIU – Dispositivo intrauterino e quando é indicado?

Como funciona o DIU – Dispositivo intrauterino e quando é indicado?

Durante o dia a dia de consultas ginecológicas, o DIU é uma das principais fontes de dúvida por parte das pacientes.

Afinal, será que é uma boa opção para quem deseja evitar a gravidez? Será que é bom para todas? Existem riscos ou efeitos colaterais?

Trouxe este artigo para esclarecer as principais dúvidas relacionadas a esse método contraceptivo.

Os tipos de DIU

O dispositivo intrauterino é uma pequena haste, normalmente em formato T ou Y,inserido dentro do útero da mulher.

Quem procura por esse método deseja evitar uma gravidez. Por isso, o primeiro passo é avaliar se, de fato, é preciso implantar o DIU. Se o objetivo é único e exclusivo de evitar a gestação, dependendo do caso, recomendo o uso do preservativo.

É prático, não invasivo e ainda evitar as Infecções Sexualmente Transmissíveis – ISTs.

Mas, se existe o desejo de implantar o DIU, existem duas opções: o DIU de cobre e o DIU mirena.

O DIU de cobre

Esse DIU não leva hormônios. Ele funciona causando impactos no endométrio e impedindo a gestação.

Costuma ser o mais indicado para a mulher que deseja evitar a gestação sem uso de outro contraceptivo. No entanto, a mulher menstrua todos os meses e esse fluxo é aumentado tanto na quantidade de sangue quanto em dias de menstruação.

Após colocado, pode ficar até 10 anos no corpo da mulher. 

O DIU de cobre com prata

Uma opção ao DIU de cobre, que conta com menos efeitos colaterais, é o DIU de cobre com prata. Ele fica menos tempo no corpo da mulher: por até 5 anos.

Porém, mantém o fluxo menstrual normal da mulher.

DIU medicado

Algumas mulheres não podem usar o DIU de cobre, além de existir a recomendação para suspender a menstruação em casos de endometriose ou tensão pré-menstrual intensa.

Assim, o DIU medicado pode ser muito bem-vindo!

Apesar de contar com hormônios sintéticos, essa liberação concentra muito menos desses hormônios no organismo do que quando entram através do uso de contraceptivos orais.

Fica no corpo da mulher até 5 anos.

Qual deles protege mais?

Todos os tipos de DIU contam com a mesma porcentagem de proteção da gravidez que a pílula contraceptiva oral. 

A colocação

A esmagadora maioria dos DIUs são colocados por nós no espaço da Clínica Mantelli. É normal que a mulher sinta um leve desconforto, parecido com uma cólica, enquanto introduz o DIU.

Há quem sequer sinta quando é colocado, e há quem precise passar por sedação para inserir tamanha a dor.

Pode ocorrer sangramentos durante 10 a 15 dias após a colocação, assim como uma irregularidade menstrual em até 3 ou 4 meses seguintes da implantação.

Passados entre 15 e 20 dias da colocação, é interessante realizar uma ultrassonografia para verificar se o útero não contraiu e tirou o DIU do lugar. Caso isso tenha ocorrido, é importante voltar ao médico para realocar.

O DIU cobre praticamente toda a área uterina. É altamente recomendado para adolescentes e não é abortivo pois combina diferentes mecanismos para evitar a gravidez, como tornar o útero hostil ao espermatozóide, engrossar o muco e dificultar o encontro entre gametas.

Espero ter esclarecido algumas dúvidas sobre como funciona o DIU.

Para ver uma demonstração prática da colocação do DIU, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em nosso canal do YouTube.

Dr. Domingos Mantelli

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA) no ano de 2002. Possui Especialização / Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA), concluída em 2004