TPM depois da menstruação, será que isso existe?

TPM depois da menstruação, será que isso existe?

A tensão pré-menstrual – TPM traz consigo muitos mitos e verdades. Uma delas é que existe TPM depois da menstruação.

Após o período menstrual, muitas mulheres relatam continuar sentindo os incômodos relacionados ao período pré-menstrual e menstrual mesmo depois de ter passado.

Mas, será que é possível?

TPM existe, mas só durante a menstruação

Assim como há mulheres que sofrem muito durante o período que antecede a menstruação, existem aquelas com sinais moderados ou que não apresentam nenhum sintoma.

É por isso que existe até uma dúvida sobre a TPM ser real ou não.

Mas, sim, esse problema existe e afeta 7 em cada 10 mulheres. Alguns estudos até mostram que cerca de 90% das mulheres irão manifestar algum sintoma de TPM ao longo da vida.

A tensão pré-menstrual pode ocorrer de 7 a 10 dias antes da menstruação e durar até o fim do ciclo. Porém, quando o período acabou e os sintomas persistem, não pode mais ser considerada TPM.

Não existe TPM o mês inteiro!

É importante obter o diagnóstico adequado considerando níveis hormonais e aspectos emocionais. Quando os incômodos continuam, é preciso fazer uma investigação para que a mulher possa receber o tratamento adequado.

Quais os sintomas mais comuns da TPM?

Ao todo, mais de 200 sintomas estão ligados à TPM. Felizmente, eles não aparecem todos juntos de uma só vez e podem variar de acordo com os ciclos.

Os mais comuns são:

  • Alterações no humor;
  • Dores de cabeça;
  • Insônia;
  • Sonolência;
  • Alterações no apetite;
  • Inchaço;
  • Dores nas mamas;
  • Retenção de líquidos;
  • Dificuldades para a concentração;

É muito importante entender que todos esses sintomas tem tratamento. A TPM pode atingir graus mais severos e comprometer a qualidade de vida da mulher.

Nos casos que os sintomas emocionais aparecem exacerbados, por exemplo, a psicoterapia pode ser recomendada, assim como a prescrição de antidepressivos.

O primeiro passo para prescrever o tratamento adequado é realizar o diagnóstico correto. Por isso, é tão importante procurar ajuda quando os sintomas estão incomodando.

O tratamento

Apesar do tratamento precisar ser personalizado, algumas recomendações são universais. Atividade física e alimentação balanceada podem amenizar muito os sintomas, pois promovem a regulação hormonal do organismo.

Geralmente, não recomendamos o uso de contraceptivo oral para tratar a TPM. Isso porque inserir hormônios sintéticos no organismo feminino apenas mascara os sintomas, sem tratar adequadamente as causas. Além disso, podem gerar outros desequilíbrios no organismo, como a candidíase.

Quando os incômodos persistem, o tratamento da TPM será direcionado exatamente para as áreas que mais geram problemas: se é emocional, dor de cabeça, cólica, vontade por doces, entre outros.

Durante as consultas ginecológicas, é muito importante que a paciente relate tudo o que sente ao seu médico de confiança. Assim, ele pode investigar se a TPM traz consigo sintomas de outras doenças, assim como prescrever o melhor tratamento.

Espero ter esclarecido as dúvidas sobre a tensão pré-menstrual – TPM. Para saber mais, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.

Dra. Erica Mantelli

Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro. Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro.