O que esperar da segunda gravidez?

O que esperar da segunda gravidez?

Engana-se quem pensa que a segunda gravidez não traz inseguranças ao casal. Apesar da experiência com o parto e os cuidados com o bebê, trazer ao mundo o segundo filho também envolve muitas dúvidas.

Alguns pais ainda contam com uma criança pequena em casa. Outros, já foram pais há muitos anos e vão passar por todas as etapas da gestação, parto e criação novamente.

Independente do caso, é importante ressaltar que uma gravidez não é igual a outra, embora algumas situações se repitam.

No entanto, é comum notar algumas semelhanças e diferenças bem marcantes entre a primeira e a segunda gestação. Vamos conferir?

Como planejar?

Preparar o corpo para engravidar pela segunda vez é tão importante quanto da primeira. Fazer a consulta pré-concepcional, receber orientações sobre exames a serem feitos, cuidados com os hábitos, nutrição adequada e controle do peso continuam essenciais.

Qualquer condição que possa prejudicar a gestação, ou mesmo, o desenvolvimento do bebê, devem ser identificadas o quanto antes para que o médico possa conduzir o tratamento indicado.

Outra dúvida frequente é o tempo indicado de espera entre uma gestação e outra. Para que o organismo tenha plena recuperação das mudanças causadas pela primeiras gestação e fique pronto para a próxima, recomendamos o tempo mínimo de espera de um ano.

E o mesmo vale para as gestações seguintes, caso seja o desejo do casal.

Os sintomas são os mesmos?

Na segunda gravidez, a mulher está um pouco mais experiente e isso reduz a ansiedade. Isso auxilia a passar por uma gestação mais tranquila. No entanto, os sintomas dependem de estilo de vida, idade e estado de saúde.

Em geral, as mulheres que enjoaram bastante na primeira gestação tendem a enjoar também na segunda. Saber disso já coloca a grávida em vantagem por saber quais hábitos manter para amenizar esses enjoos. Porém, é importante ressaltar que não é uma regra.

O mesmo vale para sinais de cansaço e dores. Quando a mulher precisa cuidar de uma criança pequena enquanto gesta o segundo filho, é comum passar por mais situações que acentuem o cansaço.

Por outro lado, alguns sinais gostosos da gestação aparecem antes. Com a musculatura do abdômen mais flácida devido à primeira gravidez, a tendência é que a barriga desponte com mais facilidade.

Os movimentos do bebê na barriga também são sentidos mais cedo, se comparado à primeira gestação. Enquanto na primeira experiência a mamãe pode sentir o bebê entre a 20ª e a 24ª semana, na segunda gravidez já podem ser sentidos pela 16ª semana.

Nem sempre é somente pelo bebê, mas também devido à posição da placenta e à quantidade de líquido amniótico.

E o parto?

Assim como cada gravidez, cada parto é único.

Fatores como a posição, o peso, o tamanho do bebê e as condições clínicas de mãe e filho influenciam no decorrer do parto. É por isso que o primeiro parto não pode servir como base para saber qual tipo de parto será.

Tanto que, sim, uma mulher que passou por cesárea no primeiro parto pode ter um parto normal no segundo filho, conforme já explicamos neste artigo.

Na segunda gestação, as chamadas contrações de Braxton Hicks, ou contrações de treinamento, ficam mais evidentes, porque as mães de segunda viagem já sabem diferenciar as contrações de parto para as de Braxton Hicks.

Isso ajuda a lidar melhor com a ansiedade, que é uma característica que costuma acompanhar a gestante durante todo o período gestacional.

Espero que este artigo esclareça o assunto a você.

Desejo uma segunda gestação saudável e uma família cheia de saúde e felicidade, com a quantidade de filhos que desejarem!

Até a próxima!

Dra. Erica Mantelli

Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro. Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro.