A importância da consulta pré-concepcional para os futuros pais

A consulta pré-concepcional é o momento ideal para homens e mulheres tirarem dúvidas sobre diversos assuntos relacionados à gestação.

Embora o mais comum seja o casal procurando pela consulta médica quando a gestação já está em curso, o ideal é que essa orientação seja buscada ainda antes da concepção.

É aí que o casal pode tirar suas dúvidas, fazer os exames solicitados e melhorar a saúde em prol do bebê que vai vir. 

Gostamos de comparar essa consulta e os procedimentos que seguem após os exames e diagnósticos como uma verdadeira limpeza do aquário. Imagine colocar um filhote de peixe para viver em um aquário imundo de águas turvas…. Se ele sobreviver, será a duras penas. E a chance maior é que não sobreviva. Dificilmente, crescerá saudável naquele ambiente.

O mesmo vale para o corpo dos pais. Para que o bebê cresça com as maiores chances de se desenvolver com saúde, é preciso que a saúde dos pais esteja em dia.

É por isso que a consulta pré-concepcional é tão importante. Continue a leitura até o final para saber sobre quais pontos são analisados.

Os exames de fertilidade

Mesmo um casal jovem e saudável pode encontrar dificuldades na hora de engravidar. É por isso que, durante a primeira consulta, provavelmente o médico vai solicitar exames de fertilidade.

A demora para o casal conseguir engravidar pode estar relacionada a causas grandes, como endometriose, ou pequenas, como um simples corrimento vaginal ou deficiência de vitaminas. Algumas dessas causas sequer é detectada pela mulher.

Assim, investigar tais causas são essenciais na fase antes da gestação para identificar e tratar problemas que possam atrapalhar a concepção. O casal deve passar por exames de sangue, ultrassonografias, espermograma, entre outros.

Leia também: Mitos e verdades sobre o parto

Suplementação personalizada

Engana-se quem pensa que a suplementação só tem relevância quando a gravidez já está em curso.

Após concluídos os exames, é possível mapear quais nutrientes estão suficientes ou insuficientes no organismo. A partir dessa informação é que uma suplementação adequada é prescrita.

Alguns casais, ao perceberem por conta própria que estão com baixa de vitaminas e minerais, recorrem aos polivitamínicos disponíveis em prateleiras de farmácias. Esses produtos são pouco eficientes, afinal, contam com pouca quantidade de muitas vitaminas e dificilmente suprem as reais deficiências.

A suplementação deve ter como objetivo atingir os níveis ótimos de todos os nutrientes, em vez dos valores de referência que representam apenas a concentração mínima desejáveis.

Mas, para uma gestação, é preciso atingir os níveis ideais, também chamados de ótimos.

Tratamentos de possíveis patologias

Quando a tentante está com alguma doença, ou mesmo recebeu o diagnóstico por meio dos exames de fertilidade, é preciso realizar o tratamento antes de seguir tentando uma gestação.

É preciso prestar atenção em tais tratamentos. Por exemplo, se a mulher contava com corrimento vaginal e tratou com cremes, não significa que está pronta para a gestação.

Esse creme acabou com as bactérias ruins, no entanto, também matou as boas bactérias. É preciso um trabalho de restabelecimento dessa flora vaginal e reequilibrar a flora vaginal.

Por último, é muito importante definir que infertilidade é diferente de esterilidade. A mulher ou o homem com infertilidade sofrem para conseguir uma gestação e para mantê-la.

Sim, a mulher com abortos de repetição também é considerada infértil. No entanto, engravidar e chegar ao fim desse ciclo com sucesso é possível com tratamento das causas. 

Enquanto isso, homens ou mulheres estéreis não podem ter filhos em nenhuma hipótese.

Esperamos que este artigo esclareça sobre a importância da consulta pré-concepcional para os futuros pais.

Até a próxima!

Dr. Domingos Mantelli

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA) no ano de 2002. Possui Especialização / Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA), concluída em 2004