A microbiota intestinal do bebê e a sua importância para a saúde

Engana-se quem pensa que o bebê nasce sem nenhuma defesa natural. Enquanto está no útero materno, a microbiota intestinal do bebê é colonizada pelas primeiras bactérias.

De acordo com estudos científicos, a colonização do intestino por microorganismos é definida principalmente nos primeiros mil dias de vida. Não é exagero afirmar que o período entre a sua concepção e o segundo aniversário definem todo o seu futuro enquanto ser humano.

Continue até o final do artigo para entender tudo sobre a microbiota intestinal do bebê.

O que é microbiota intestinal?

Definimos como microbiota um acervo de bactérias, protozoários e fungos convivendo em um mesmo local. Existem microbiotas em todos os nossos órgãos, afinal, a maior parte das células do nosso corpo são formadas por esses microorganismos.

Esses pequenos seres dependem de nós para a sua sobrevivência e, também, nós precisamos deles para exercer várias funções metabólicas.

A microbiota intestinal é a responsável por boa parte da defesa natural do organismo. Engana-se quem pensa que essa microbiota começa a ser constituída apenas quando a criança começa a se alimentar. Sua formação começa ainda no útero materno.


Leia também: Conheça os benefícios dos probióticos na gestação.

O início da colonização do intestino

O bebê passa entre 36 e 40 semanas, em média, no útero materno. Ele fica envolvido pela placenta, que é a única barreira para o organismo materno. No entanto, existem estudos que identificaram a presença de DNA de bactérias na placenta.

Assim, podemos concluir que, se a gestante conta com uma alimentação saudável e rica em alimentos responsáveis por colonizar a sua própria microbiota intestinal, também contribui para o fortalecimento da microbiota do bebê.

A gestante precisa cuidar muito bem do seu intestino durante a gestação. Não é normal passar esses meses constipada. Além do desconforto, ainda deixa de ajudar o bebê a formar sua própria microbiota.

O segundo momento mais importante para a colonização do intestino é na hora do parto natural. Ao passar pelo canal vaginal, o bebê tem contato com o microbioma da mãe. Assim, seu intestino recebe esses microorganismos.

Logo após o nascimento, o bebê deve ter contato com o peito da mãe. Mesmo que ele ainda não consiga sugar o primeiro leite, chamado colostro, o toque com a pele da mãe é suficiente para fortalecer sua microbiota.

A amamentação exclusiva nos primeiros 6 meses de vida também contribui para esse bebê formar o microbioma intestinal forte. Isso faz que a sua absorção de nutrientes seja mais completa e o sistema imunológico mais resistente contra microorganismos como vírus invasores.

É essa exposição aos lactobacilos desde os primeiros dias de vida que faz toda a diferença em sua constituição intestinal. Daí, a importância da mamãe se alimentar da maneira mais orgânica e natural possível desde a pré-concepção até a amamentação.

Eu espero que este artigo esclareça a você sobre a microbiota do bebê e sua importância para a saúde.

Até a próxima!

Dra. Erica Mantelli

Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro. Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro.