Conheça alguns mitos e verdades sobre o parto

Conheça alguns mitos e verdades sobre o parto

Os mitos e verdades sobre o parto dão o que falar nas rodas de conversas, em grupos de mães e por todo canto nas redes sociais.

Basta que a mulher fique grávida para que comece a ouvir palpites de todos os lados. Desde as visões das mulheres mais velhas da família até daquelas colegas que nem eram assim tão próximas. Mas, afinal, o que é mito ou verdade?

Cada mulher tem a sua experiência e é normal o desejo de compartilhar o que viveu. No entanto, é importante ficar por dentro do que é verdade ou não.

Desde as primeiras consultas de pré-natal, a mulher já deve buscar informações sobre o parto e preparar-se para esse momento. Para te ajudar, vamos comentar alguns dos principais mitos e verdades sobre o parto.

Existe limite para o trabalho de parto

O limite é dado por mãe e filho. Não existem limites de tempo de parto ou quantidade de dilatação. Cada experiência é única e o parto é definido quando o bebê está pronto e a mãe sente-se confortável.

Existem casos em que a mulher consegue o parto em 2 horas. Em outros casos, pode durar mais de 48 horas. Não existe certo ou errado. É preciso respeitar o tempo de cada um e, principalmente, a sua natureza.

Cordão umbilical em volta do pescoço é motivo para cesárea

Mito. Enquanto não nasce, o bebê não tem contato com o ar. Assim, ficar com o cordão umbilical enrolado na garganta tem os mesmos efeitos de quando enrola no braço ou na perna.

Tudo que o bebê aspira é o líquido amniótico. Assim, ele não corre risco algum de ficar “sem ar”, já que só vai respirar após o parto.

Parto humanizado tem que ser normal.

Mito. A premissa para o parto humanizado é que tenha respeito. Respeito pelo tempo certo de mãe e filho, pelas escolhas da mulher e pela sua fisiologia. Não existe relação com o tipo de parto.

É claro que, como médicos, somos contra a indicação indiscriminada do parto cesáreo como costuma ocorrer atualmente. De acordo com dados do Ministério da Saúde, 55,5% de todos os partos no Brasil são cesáreos. Um índice muito maior do que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde, que é de 10%.

No entanto, caso exista a real necessidade ou simplesmente seja uma escolha da mulher quando ela já está informada sobre o assunto, a cesárea pode ser tão humanizada quanto o parto normal.

Deve ser respeitada a forma do nascimento do bebê, em um ambiente com baixa iluminação, poucos ruídos e aguardar no mínimo 24 horas para o primeiro banho.

Mulher que teve cesárea nunca mais pode ter parto normal.

Mito. Se o primeiro parto foi cesáreo, isso não significa que a mulher não pode ter um parto normal na hora de dar à luz ao segundo ou terceiro filho. O tipo de parto, como vimos, não determina se é um parto humanizado.

Quando as vontades da mulher são respeitadas e seu estado de saúde permanece estável, ela pode ter um parto normal mesmo após passar pela experiência da cesárea.

Espero que este artigo esclareça alguns mitos e verdades sobre o parto.

Saiba mais sobre parto e gestação assistindo ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em nosso canal do YouTube.

Dra. Erica Mantelli

Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro. Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro.