Mitos e verdades sobre a amamentação: quais você ouviu?

São diversos os mitos e verdades sobre a amamentação. Sabemos muito bem que informações erradas são propagados sobre amamentar. Sobre leite fraco ou virar água após um período, ou subestimando a sua importância para a nutrição do bebê.

Muito além do senso comum, costumamos ouvir mitos e verdades sobre a amamentação que colocam um grande ponto de interrogação em nossas cabeças de mãe.

Alguns deles têm relação com a experiência pessoal da mulher. Outros, são simplesmente absurdos, passados de boca em boca sem nenhum fundamento.

Para saber os mitos e verdades sobre a amamentação mais comuns e que precisam ser desmistificados, leia este artigo até o final.

Após um ano, o leite vira água – MITO

Vamos esclarecer o tempo recomendado pela Organização Mundial da Saúde – OMS para amamentação.

De acordo com o órgão, o bebê deve ser alimentado exclusivamente com leite do peito até os 6 meses de vida e que complemente a alimentação até os 2 anos de idade.

Dito isso, não existe nenhuma evidência científica de que o leite perca nutrientes em qualquer momento. Você deve amamentar pelo tempo que for bom para você e seu bebê.

Leia também: O anticoncepcional durante a gestação faz algum mal?

Amamentar emagrece – VERDADE

Para amamentar, seu organismo queima muitas calorias. Por isso, além de você garantir o melhor alimento ao seu filho, ainda recebe aquela ajuda na hora de manter um peso saudável.

No entanto, recomendo que preste atenção àquilo que come. Uma alimentação saudável e equilibrada, em especial na fase da amamentação exclusiva, é essencial para manter o peso e a qualidade do leite.

Digo isso porque sei muito bem o que acontece quando a alimentação não é equilibrada. A vontade de ingerir carboidratos simples e doces parece maior que tudo! Aí, dificilmente seu peso será mantido e seu filho estará bem nutrido.

Se você nunca teve o acompanhamento de um nutricionista, este é um excelente momento para começar.

É preciso ter um bico certo para amamentar – MITO

A amamentação não tem nada a ver com o formato do bico do seio. Mesmo as mulheres que contam com bico plano ou invertido conseguem amamentar. É preciso trabalhar a pega correta do bebê.

A mulher deve sentar em uma posição confortável e verificar se o bebê abre bem a boca para mamar, encaixando direitinho na aréola. É dessa maneira que ele consegue sugar o leite materno sem machucar o seio.

Se você sente algum desconforto relacionado ao seu bico do seio, procure por um corretor de mamilos invertidos. Esse acessório pode ajudar!

Amamentar dói – DEPENDE

Aqui, a questão é pessoal da mãe. Algumas mulheres sentem dores ao amamentar e outras não. As dores costumam ser mais persistentes nos primeiros dias da amamentação, quando mãe e filho ainda estão descobrindo esta prática.

A adaptação e consolidação da amamentação costumam durar o tempo do puerpério. Se após esse período as dores continuarem, procure um especialista.para que ele indique um tratamento.

Excesso de leite causa mastite – VERDADE

Acumular leite nos seios pode levar à inflamação da glândula mamária, também conhecida como mastite. Por isso, amamente sempre com os dois seios. Se a sua produção excede o consumo do bebê, faça a ordenha todos os dias.

Considere fazer doação de leite materno excedente. Essa atitude ajuda você e outras mães!

Atenção para mais uma dica: ter rachaduras nos seios também não é motivo para deixar de amamentar. Se você tira seu filho do seio por qualquer motivo, o problema tende a agravar, ocasionando em empedramento.

Eu espero que este artigo tenha esclarecido alguns mitos e verdades sobre a amamentação. Para mais dicas, siga meu Instagram e inscreva-se em meu canal do YouTube.

Até a próxima!

Dra. Erica Mantelli

Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro. Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro.
Fechar Menu