Sexo no pós-parto dói? Tire suas dúvidas sobre o assunto

O sexo no pós-parto é um tema bastante cercado por tabus e crenças que nem sempre condizem com a verdade. A recomendação padrão é esperar passar o resguardo, mas sequer quanto a isso existe uma regra.

Não existe “prazo” para retomar a vida sexual após o nascimento do bebê. Cada mulher tem seu próprio tempo. É o seu corpo e o seu desejo que devem ser respeitados nesse momento tão especial após colocar uma vida no mundo.

Se você é mãe de primeira viagem e tem dúvidas sobre isso, continue até o final do artigo para entender por que o sexo no pós-parto pode contar com alguma complicação.

As dores do pós-parto

Não importa se você passou por um parto normal ou por uma cesárea. Assim como aproximadamente 100% das mulheres você conta com alta chance de apresentar algum desconforto na sua primeira relação após o parto.

Isso acontece porque a quantidade de estrogênio do organismo cai muito durante a fase da lactação. A falta desse hormônio pode resultar na atrofia da área vaginal, o que provoca a ausência da lubrificação e resulta no desconforto da relação.

Em casos mais graves, essa situação pode ser diagnosticada como dispareunia. A região da vagina pode estar perfeita aos olhos do médico, porém, a mulher sente muitas dores. Aí, é preciso de atendimento especializado, inclusive em alguns casos com fisioterapeuta focada na musculatura vaginal.

Leia também: Estresse e fertilidade não combinam, e acordo com estudo

Como resolver?

Pode ser que você precise de atendimento especializado, mas a maioria dos casos de dor passa sozinho. Converse com o seu parceiro. Com paciência, esse não deve ser motivo para qualquer conflito! Mas, se o problema persistir, procure apoio com o seu médico.

Eu espero que você tenha entendido por que o sexo no pós-parto dói na maioria das vezes. No fim, não deve ser razão para grande preocupação.

Para receber mais conteúdos como este, continue acompanhando meu blog e siga meu perfil no Instagram.

Até a próxima!

Dr. Domingos Mantelli

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA) no ano de 2002. Possui Especialização / Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA), concluída em 2004
Fechar Menu