Anticoncepcional e candidíase: entenda a relação

Você sabe o que tem a ver anticoncepcional e candidíase? Provavelmente, não sabe. Os estudos conduzidos sobre a interferência do anticoncepcional nessa doença são pouco divulgados embora existam há algumas décadas.

Para entender a ação direta do anticoncepcional na candidíase, primeiro é necessário entender como o problema se manifesta no organismo.

O que é candidíase?

A candidíase é uma infecção causada por fungos que pode atingir homens e mulheres, porém, atinge muito mais o sexo feminino. Embora não seja uma doença sexualmente transmissível, ela pode ser transmitida pelo sexo.

Em pelo menos 85% dos casos, o fungo responsável pela infecção é o candida albicans. Daí, vem o nome. Este fungo, na realidade, já existe na vagina da mulher. O problema é quando as circunstâncias favorecem a sua multiplicação desenfreada.

Em geral, quando o sistema imunológico fica enfraquecido, os sintomas da candidíase costumam se manifestar, afinal, o organismo deixa de controlar o crescimento do fungo.

Entre outros fatores que podem levar à candidíase estão a má alimentação – o que desregula os hormônios e também baixa a imunidade, o uso de calças muito apertadas, a falta de higiene no local.

Associado a todos esses agentes causadores, o anticoncepcional entra como um fator extra bastante desfavorável para a mulher que sofre com o problema.

Os sintomas da candidíase vaginal envolvem muita coceira, dor e vermelhidão na região genital. Também costuma descer um corrimento branco bem viscoso e as dores durante as relações são frequentes.

Anticoncepcional e candidíase

De acordo com estudo conduzido pela Universidade de Michigan, o uso do anticoncepcional oral pode até mesmo dobrar as chances de uma mulher desenvolver a candidíase.

Embora não seja um causador de candidíase, o uso de anticoncepcional altera as condições da vagina de maneira que o ambiente fique muito mais propenso á proliferação do fungo candida.

Ou seja, o uso de anticoncepcional e candidíase estão relacionados diretamente como facilitador para desenvolver a doença. Portanto, minha recomendação como médico é de que se você usa o anticoncepcional oral apenas para prevenir uma possível gravidez, converse com o seu próprio médico para solicitar uma alternativa não hormonal a fim de evitar riscos à sua saúde.

Espero que este artigo ajude você a entender a relação entre anticoncepcional e candidíase.

Até a próxima!

Dr. Domingos Mantelli

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA) no ano de 2002. Possui Especialização / Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA), concluída em 2004
Fechar Menu