Tipos de parto e o parto humanizado

O parto humanizado é um conceito pouco compreendido pelas pessoas. Atualmente, existe um movimento em prol do parto humanizado que é bastante interessante. No entanto, como o conceito se confunde com tudo ocorrendo da maneira mais natural possível, há quem acredite que é sinônimo de parto normal.

Afinal, parto normal e parto humanizado são a mesma coisa? Definitivamente, não. As informações sobre como ter um parto normal são cada vez mais difundidas e esse movimento me agrada. Porém, algumas pessoas desse meio – não todas, é claro – posicionam-se contra o parto cesáreo, o que gera confusão e desinformação.

Neste artigo, você vai entender sobre o parto humanizado e quando cada tipo de parto é recomendado.

Parto normal

Ter um bebê nascido pelas vias naturais é o desejo de muitas mulheres atualmente. O que por muito tempo era tomado pelo medo, hoje existe a prioridade para a recuperação pós-parto e a saúde do bebê. Não podemos esquecer dos dois fatores que envolvem o nascimento: a mãe e o bebê.

Em primeiro lugar, a mãe precisa contar com uma estrutura de bacia pélvica firme que favoreça a passagem da cabeça do bebê. Mulheres que tiveram mais de dois partos cesáreos anteriores também não contam com recomendação para parto normal devido ao risco de rompimento uterino.

Por outro lado, o bebê também precisa estar pronto para o nascimento. O parto normal exige que o bebê tenha oxigênio suficiente e que ele fique posicionado da forma correta bem encaixada para nascer.

Quando o bebê está sentado, ou atravessado, não existem condições para o nascimento pelas vias naturais. Também não é normal que a mulher passe por 15 ou 20 horas de trabalho de parto, pois o bebê pode entrar em sofrimento fetal.

Leia também: O que o bebê aprende dentro do útero?

Parto cesáreo

Em 2017, o número de partos cesáreos caiu pela primeira vez em 40 anos no Brasil. Ainda assim, correspondem a quase 60% do total dos partos realizados no país. Os números recomendados pelo Unicef são de 15%.

O parto cesáreo consiste no nascimento por meio de uma cirurgia, seja por uma preferência da mulher ou pela situação de risco em que mãe e filho se encontram. Outros motivos levam a mulher a preferir a cesárea, tal como a troca constante de médicos entre uma consulta e outra e o pouco contato entre as consultas.

Embora eu não concorde com a realização indiscriminada de partos cesáreos, acredito que é importante frisar que nenhuma mulher é menos mãe devido a sua opção ou necessidade por esse parto. Inclusive, é possível sim ter um parto humanizado na cesárea.

Quer saber como?

Afinal, o que é parto humanizado?

O parto humanizado é aquele que respeita a fisiologia de mãe e filho. Algumas características como a baixa intensidade de luz, o silêncio, o contato pele a pele entre mãe e bebê logo após o nascimento são essenciais para o bem estar de ambos.

Não importa se o parto foi normal ou cesáreo. O parto humanizado não é um produto, mas sim o processo do parto em si. A humanização do parto passa, inclusive, pela troca de planos em última hora do parto normal para o parto cesáreo quando o bebê está em risco ou entra em sofrimento fetal.

É por isso que, apesar da quantidade de partos que vem sendo realizados em casa de forma bem sucedida, considero um risco desnecessário para mãe e filho. Mesmo que não seja necessária uma intervenção como a cesárea, o momento do parto exige a presença de uma equipe médica e da estrutura hospitalar para quaisquer emergências.

Espero que este artigo ajude você a entender sobre o que é parto humanizado. 

Até a próxima!

Dra. Erica Mantelli

Dra. Erica Mantelli

Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro. Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro.
Fechar Menu