Ter relação na gravidez ajuda no parto normal?

Ter relação na gravidez é um assunto repleto de tabus. Em meu trabalho para desmistificar algumas inverdades comuns, percebo muitas dúvidas, em especial de pais de primeira viagem e mulheres com preferência pelo parto normal.

A relação durante a gravidez ajuda no parto normal? A resposta é sim, e vou explicar ao longo deste artigo. No entanto, outros mitos precisam também ser derrubados para que o casal leve a sua vida sexual normalmente e sem culpa.

Vamos esclarecer alguns mitos?

Ter relação não prejudica o bebê

Desde que a mulher esteja em dia com seus exames médicos e seguindo as orientações do pré-natal, não há nada que a impeça de continuar mantendo relações.

Acredite, o bebê está seguro no útero. Durante a relação, ele não tem contato com o pênis ou o esperma masculino. Portanto, não há como machucá-lo. Outra dúvida comum é sobre o orgasmo, se o bebê pode sentir algo. Ocorre que o aumento da sensação de bem-estar da mãe passa para o bebê. Ou seja, ele é beneficiado.

Manter relações não representa perigo algum para o bebê. A única regra é que a mulher esteja disposta e saudável. É comum a queda da libido durante o primeiro trimestre da gestação, mas não é uma regra. Após esse período, costuma voltar ao normal.

O principal cuidado que a gestante deve ficar atenta é a questão das posições, para que não force a sua coluna e atraia problemas para essa região do corpo. Ao longo dos meses, o casal deve experimentar as posições conforme o que ficar mais confortável para a gestante.

As contra-indicações para a prática sexual tem relação com risco de aborto ou trabalho de parto prematuro. Esses problemas podem ser diagnosticados já durante o pré-natal. Os possíveis desconfortos também devem ser informados ao médico.

A relação ajuda no parto?

A rotina de relações estimula a circulação do sangue em todo o corpo, inclusive na região pélvica, além da oxigenação do feto, beneficiando ambos. Manter a rotina de relação na gravidez ajuda no parto.

A prática estimula as contrações uterinas, graças à liberação da ocitocina e ao amolecimento do colo do útero provocado pelas prostaglandinas presentes no sêmen. É comum, inclusive, que a mulher sinta leves contrações após o ato.

Se ainda não está próximo ao nascimento, não é motivo para se assustar, pois o estímulo não tem poder de fazer o bebê nascer antes do tempo. A sensação é parecida com uma leve cólica. Caso seja muito incômodo, é possível fazer uso de preservativo para minimizar.

Por esse motivo, é uma recomendação comum aos casos onde a mulher prefere passar pelo parto normal, que as relações sejam mantidas até o final da gravidez.

Todos os desconfortos devem ser relatados ao médico. É ele quem pode fazer as recomendações adequadas ao caso específico de cada gestante, preservando a saúde da mulher e do bebê.

Espero que meu artigo tenha ajudado você a entender como ter relação na gravidez ajuda no parto normal.

Até a próxima!

Dr. Domingos Mantelli

Dr. Domingos Mantelli

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA) no ano de 2002. Possui Especialização / Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA), concluída em 2004
Fechar Menu